Porto | Portugal | jruicorreia@gmail.com

[...não, não precisas tomar qualquer comprimido, Antero..., 10Maio2018]

Célestine


Há quem tome comprimidos para a diabetes, para o coração, para o colesterol... Há também quem tome comprimidos para morrer e quem tome comprimidos para matar. Há ainda quem não tome comprimidos, nem para a diabetes, nem para o coração, nem para o colesterol, nem para morrer ou para matar. Provavelmente, só para sobreviver...

Até que as pedras se tornem mais leves do que a água, como diz António Lobo Antunes. Ou até que uma nova alma húmida seja capaz de nos resgatar de certa solidão existencial.

Enfim, deverei tomar algum comprimido para não morrer?



Célestine (Léa Seydoux), em Dário de uma criada de quarto, de Benoît Jacquot, 2015.
Direcção de fotografia de ROMAIN WINDING



— Menina Célestine, tenho um excelente lugar para si. Mas terá que ir para a província...
— Para a província? Não me entusiasma muito.
— Não conhece bem a província. Há lá excelentes lugares.
— Excelentes lugares... que anedota! Não há excelentes lugares.
— Perdoe-me, menina Célestine, mas não há maus lugares...
— Eu sei. Apenas maus patrões.
— Não. Apenas más criadas! (...) Arranjo-lhe as melhores casas, não tenho culpa que não permaneça lá. Além do mais, é inteligente. Tem presença. Tem uma bonita cintura, uma boa figura, poderiam acontecer-lhe coisas felizes, com uma boa postura.
— Com ausência de postura, quer dizer.
— Depende do ponto de vista. Eu chamo a isso uma boa postura...

— Pronto, deixe lá, prometo-lhe ter boa postura, como a senhora diz. Boa postura é o que mais tenho, garanto-lhe. Pode ficar descansada.

Journal d´une Femme de Chambre
Benoît Jacquot, 2015.

____
POST SCRITPTUM/ Jornal de Notícias, hoje [ 21 de Abril 2018]:
«No popular site de anúncios britânicos "Craiglist" são publicados, por dia, mais de 100 anúncios com propostas para partilhar casa em troca de "relações sexuais duas ou três vezes por semana", ou "raparigas atrevidas para um quarto...»

...edificado em 1914...

[Sábado, 28 de Abril de 2018, o Mercado do Bolhão encerrou para obras de requalificação...]