Porto | Portugal | jruicorreia@gmail.com

Mar

[Granja-2013]

"Olhando o mar, sonho sem ter de quê.
Nada no mar, salvo o ser mar, se vê.
Mas de se nada ver quanto a alma sonha!
De que me servem a verdade e a fé?"
_Fernando Pessoa_


[Lavra-2013]

"Regresso devagar ao teu
sorriso como quem volta a casa. Faço de conta que
não é nada comigo. Distraído percorro
o caminho familiar da saudade,
pequeninas coisas me prendem,
uma tarde num café, um livro. Devagar
te amo e às vezes depressa,
meu amor, e às vezes faço coisas que não devo,
regresso devagar a tua casa,
compro um livro, entro no
amor como em casa."

«Manuel António Pina»


[ Lavra - 2006 ]

[...2006]

"Quando eu morrer voltarei para buscar
Os instantes que não vivi junto ao mar"

Sophia De Mello Breyner Andresen

[...2012]